Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Pepita de Sucesso

Tudo sobre saúde, trabalho, lazer, viagens, sucesso, família e estilo de vida.

Uma Pepita de Sucesso

Tudo sobre saúde, trabalho, lazer, viagens, sucesso, família e estilo de vida.

A Bata - Desafio caixa de lápis de cor # 6 Laranja

IMG_20210223_134507.jpg

 

 

Era uma menina de olhar doce, meiga, discreta e muito tímida ...

 

No 1º de dia de aulas, com 6 anos, chorou muito ... não queria estar na escola, não queria interagir com os outros meninos!

Agarrou-se a mim, à minha bata ... era o seu lugar seguro ... era o seu conforto!

Cedo percebi que a Francisca precisava de mais tempo para se adaptar e para se relacionar com os outros ... 

Aos poucos a timidez foi-se esbatendo e foi-se habituando à escola, aos novos amigos, à professora, ao recreio ...

 

Era no recreio que encontrava o seu abrigo ... na minha bata!

- Vai Francisca, vai brincar ... aproveita o recreio para correr, brincar e conhecer outros meninos! - dizia-lhe vezes sem conta.

- Quero ficar com a Luísa! 

E agarrava-se cada vez mais à minha bata!

Não a forçava, não insistia, nem a obrigava a nada ... um dia estaria preparada!

 

Dois anos depois, Francisca continuava a agarrar-se à minha bata principalmente no ínicio do ano lectivo!

Depois, só se lembrava da minha bata ... quando se magoava, quando era ignorada pelos outros meninos, ou quando queria atenção e carinho!

 

Quando soube que que eu ia deixar o recreio e a escola chorou muito ... 

Rasgou uma folha do seu caderno e fez um desenho  ... e com o seu olhar doce e meigo ofereceu-me ...

- Quero que a Luísa guarde este desenho para sempre ... vamos ser sempre amigas!

E desenhou-nos com duas batas cor de laranja!

 

 

Neste desafio participo eu, a FátimaConcha, A 3ª Face, a Maria Araújo, a Peixe Frito, a Imsilva, a Maria, a Ana D., a Célia, a Charneca Em Flor,  a Gorduchita, a Miss Lollipop, a Ana Mestre a Ana de Deus, a Cristina Aveiro, a bii yue e o José da Xã.

Todas as quartas feiras e durante 12 semanas publicaremos um texto novo inspirado nas cores dos lápis da caixa que dá nome ao desafio, lançado  no blogue da Fátima.

O "Meu" Mar - Desafio caixa de lápis de cor # 5 Azul Cobalto

 

IMG_20200614_121922.jpg

Praia Formosa, Funchal, Ilha da Madeira

 

É um caso de amor ...

É uma grande paixão ...

Guardador de histórias, de segredos, de confidências, de vidas e de mistérios....

Sublime no seu encontro com os céus ... imponente, poético, sensual, ... com um sentimento de eternidade e de vastidão ...

 

IMG_20190519_110815.jpg

Prainha, Caniçal, Machico, Ilha da Madeira

 

Pela sua imensidão, beleza e força, este "meu" mar azul cobalto,  inspira, relaxa e acalma a alma. 

 

"O mar é a religião da Natureza."

 - Fernando Pessoa

 

IMG_20200202_121939.jpg

Cristo Rei, Garajau, Ilha da Madeira

 

Reflexo de pensamentos, de medos e de desejos, de sonhos e de possibilidades ... as águas brilhantes deste "meu" mar azul cobalto são a metáfora perfeita para a felicidade!

 

Nasci do mar ... é a minha paixão ... é onde está a minha essência ... é aqui que reencontro a minha paz!

 

"Era como se o mar, com seus infinitos,

lhe desse um alívio de sair daquele mundo."

- Mia Couto

 

 

Neste desafio participo eu, a FátimaConcha, A 3ª Face, a Maria Araújo, a Peixe Frito, a Imsilva, a Maria, a Ana D., a Célia, a Charneca Em Flor,  a Gorduchita, a Miss Lollipop, a Ana Mestre a Ana de Deus, a Cristina Aveiro, a bii yue e o José da Xã.

Todas as quartas feiras e durante 12 semanas publicaremos um texto novo inspirado nas cores dos lápis da caixa que dá nome ao desafio, lançado  no blogue da Fátima.

 

 

O meu Sporting - Desafio caixa de lápis de cor # 4 Verde

IMG_20210208_171629.jpg

 

 

A  minha paixão pelo futebol surgiu pela mão do meu pai!

O meu pai foi jogador do Andorinha e do União da Madeira ... 

 

Desde pequenina me levava a ver os jogos de futebol ao Campo dos Barreiros onde só se jogava nas regionais.

Se jogava o União da Madeira,  ia de laço amarelo e a minha irmã de laço azul (as cores do União).

Se jogava o Marítimo, ia de laço verde e a minha irmã de laço vermelho (as cores do Marítimo).

Adorava aquelas saídas ao domingo para ver a "bola" com o meu pai e com a minha irmã!

 

Aos fins de semana ouvíamos o relato de futebol pela telefonia ... familiarizei-me com o Benfica, o Belenenses, a Académica de Coimbra ... e com o Sporting!

Passei a torcer pelo Sporting,  fascinava-me ouvir o relato quando o Sporting jogava!

 

Foi através da telefonia e dos relatos emocionantes dos locutores que nasceu o meu amor pelo Sporting Clube de Portugal!

Este amor foi crescendo cada vez mais ... não perdia um jogo (pela telefonia) ... sofria, emocionava-me,  aplaudia, vibrava com as vitórias, entristecia-me as derrotas, ... adorava aqueles 90 minutos de relato!

 

Anos mais tarde, quando os clubes madeirenses subiram à primeira divisão e o Sporting vinha à Madeira jogar, não perdia um jogo!

Ia ao aeroporto e juntava-me à claque do Sporting para ver os jogadores à distância ...

Já não ia de laço verde na cabeça .... ia toda de verde, com a camisola, as meias, o boné e o cachecol do Sporting!

 

Não consigo explicar a minha paixão pelo Sporting, é um sentimento superior às palavras, vive-se, sente-se, emociona-se, vibra-se, ... isto é emoção ... isto é paixão ... isto é o meu coração pintado de verde!

 

 

Neste desafio participo eu, a FátimaConcha, A 3ª Face, a Maria Araújo, a Peixe Frito, a Imsilva, a Maria, a Ana D., a Célia, a Charneca Em Flor,  a Gorduchita, a Miss Lollipop, a Ana Mestre a Ana de Deus, a Cristina Aveiro, a bii yue e o José da Xã.

Todas as quartas feiras e durante 12 semanas publicaremos um texto novo inspirado nas cores dos lápis da caixa que dá nome ao desafio, lançado  no blogue da Fátima.

 

Marron - o cão castanho - Desafio: Vamos pintar com palavras

IMG_20210124_115841.jpg

 

Continuando o desafio "Vamos pintar com palavras"  proposto pela nossa Querida Fátima Bento do blog "Porque eu Posso"  hoje pinto com castanho - marron este texto ...

 

Passa os dias assim ...

Deitado a dormir, numa profunda tristeza! 

Marron, o cão castanho, de olhar meigo, abandonado ... carente e desesperado!

À espera de vida na vila ...

À espera de mimos ... de uma palavra e gesto de conforto!

Aguardando, indefinidamente, uma nova esperança!

 

Não há movimento no cais de Câmara de Lobos.

Nem os meninos saem aos sábados e aos domingos para jogar à bola!

Nem para as acrobacias e mergulhos no cais!

 

Os cafés e restaurantes com as suas esplanadas vazias e desertos!

Os hotéis sem clientes e fechados!

Não há turistas!

Não há transeuntes!

 

Um vazio!

Um silêncio atroz!

Um sentimento de um luto permanente!

 

E Marron espera .... espera ... espera ... que tudo volte ao normal!

 

O Milionário Acidental

IMG_20200719_120640.jpg

Parque de Santa Catarina, Funchal, Ilha da Madeira

 

 

"Já passava da meia-noite quando o excêntrico anfitrião da animada festa, que se realizava no seu palácio setecentista, desafiou os convidados a mergulharem na piscina exterior.

Era verão, a noite aquecida convidava a um mergulho na água cor de prata. A lua cheia e  taças de champanhe vazias eram condimentos suficientes para o ambiente de euforia que se vivia.

Estava reunidas as condições para que o desafio do milionário fizesse sentido, não fosse a água estar pejada de crocodilos!

À volta da piscina, as dezenas de convidados fizeram um ruidoso silêncio, incrédulos. O milionário insistiu e ofereceu, como prémio, um terço da sua fortuna a quem conseguisse chegar ao outro lado da piscina são e salvo.

O silêncio fez-se notar ainda mais.

Foi quando o anfitrião subiu a oferta.

Estava agora "em cima da piscina", metade da sua riqueza, que era incalculável!

Ouve-se um mergulho!

Estupefactos, todos olham na direcção da perigosa água.

Vê-se um dos convidados nadar à velocidade de quem luta pela vida.

Contam-se mais de cinco crocodilos na sua direcção, certos da deliciosa refeição que estão prestes a trincar ...

Por milagre, o audaz convidado consegue chegar à outra margem da piscina.

A euforia foi generalizada, com excepção do milionário, que se via agora obrigado a partilhar a sua fortuna.

Confuso, mas ciente de que tinha perdido a aposta, deu os parabéns a vangloriou a coragem do destemido, que depressa respondeu:

- Corajoso eu?! Quero é saber quem foi o cretino que me empurrou para a água!"

 

Moral da história - às vezes precisamos que um "cretino" nos empurre para atingirmos um objectivo impensável. 1)

 

1) História retirada da Revista Activa, nº 3, Fevereiro, 2016, pag.10

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Mensagens

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub