Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Pepita de Sucesso

Tudo sobre saúde, trabalho, lazer, viagens, sucesso, família e estilo de vida.

Uma Pepita de Sucesso

Tudo sobre saúde, trabalho, lazer, viagens, sucesso, família e estilo de vida.

Esponja emocional

9c9f980e37ea0fb73c5ad32bc1d41d13.jpg

 

 

Os "esponjas emocionais" são pessoas com uma enorme sensibilidade empatia e excessiva solidariedade.

Priorizam sempre os outros, esquecendo-se do seu próprio bem estar. 

Carregam "às costas" os problemas do mundo e sentem-se responsáveis pela felicidade dos outros.

 

Acabam por atrair pessoas tóxicas, egoístas, problemáticas e na maior parte das vezes são vítimas de abusos emocionais.

 

O que inicialmente parece uma virtude, facilmente se torna um fardo!

 

Imagem Pinterest

Em casa alheia ....

Em casa alheia ...

 

Hoje estou na casa do Nosso Querido João do Blog "O que não mata, engorda e transforma-te num maratonista", onde dou o meu testemunho sobre exercício físico, saúde, envelhecimento e bem estar, em tempos de Covid 19.

 

Podem visitar-nos  AQUI

 

Obrigada João por mais uma vez acreditar no meu trabalho.

Um beijinho e Feliz Sábado

 

Um Tempo para Estar Só ..

1578844250275_1DSC07784.JPG

Quinta do Furão, Santana, Ilha da Madeira

 

 

Cada vez mais valorizamos as relações sociais. Elas contribuem para o nosso bem-estar e a sua falta é, em muitos casos, uma fonte de angústia, tensão e ansiedade.

Mas as relações sociais exigem muito de nós, onde investimos muito do nosso tempo e energia.

Muitas até vivemos em função dos outros ... o trabalho, a família, os amigos, o companheiro, os filhos ... e acabamos por não conseguir distinguir onde terminam os nossos desejos e anseios e onde começam os dos outros.

 

Passar um tempo só, para estar só connosco, é uma maneira de redireccionar a nossa atenção e energia para nós mesmos.

Uma oportunidade para sermos “egoístas” sem nos sentirmos culpados por isso.

Uma oportunidade para nos ajudar a nos redescobrir, a perceber o que realmente somos, o que desejamos, o que nos faz feliz ... sem a influência dos que habitualmente estão connosco.

Uma oportunidade para nos sensibilizarmos com o silêncio, para olharmos para dentro de nós, para sermos mais intensos e verdadeiros com aquilo que queremos e desejamos.

Uma oportunidade para nos consciencializarmos dos nossos verdadeiros sentimentos e valores.

Uma oportunidade para "despertarmos", nos conectarmos e dialogarmos com o nosso "eu".

 

Aproveitemos este momento de isolamento social para nos darmos Um Tempo para Estar Só.

 

“Todas as coisas grandes e preciosas são solitárias”.
– John Steinbeck

 

 

Fazer a diferença ....

IMG_20200131_131239.jpg

Praia dos Reis Magos, Santa Cruz, Ilha da Madeira

 

 

" Um homem caminhava ao longo de uma praia, reflectindo sobre a sua vida.

 

O seu desejo tinha sido sempre o de fazer a diferença, mas por mais que tentasse, acabava por sentir que os seus esforços eram em vão.

 

De repente, o homem ouviu um "craque" ruidoso e olhou para os pés. No sítio onde estava, e o mais longe que a sua vista alcançava em todas as direcções, via milhares de pequenas estrelas-do-mar trazidas para a praia pelas ondas e pela maré do oceano.

 

O homem continuou a caminhar, pensando para consigo como o oceano era cruel. Afinal, estas estrelas-do-mar não tinham feito nada de mal! Mas antes de acabar o dia, estariam mortas, arrastadas pela maré e deixadas ao abandono.

 

Ao fim de um tempo, o homem deparou com uma velha mulher que estava na orla do oceano, a atirar as estrelas-do-mar, que tinham sido arrastadas, de volta para o mar.

 

O homem olhou para ela e para os milhares de estrelas-do-mar moribundas ao longo da costa e disse: 

- Por cada estrela-do-mar que volta a atirar para o mar, há mais três que são arrastadas para a margem! Como é que pode fazer a diferença?

 

A mulher mostrou-se pensativa por instantes, depois pegou noutra estrela-do-mar e atirou-a de volta para o mar e disse:

- Fiz a diferença para aquela. 

 

A mulher fez o sorriso mais bonito que o homem jamais tinha visto."

 

In "Mude a Sua Vida em Sete Dias" de Paul McKenna

 

* Esta história já tinha sido publicada aqui no blog.

Por lapso apaguei-a.

E como gosto muito dela decidi publicar novamente.

 

Bem-estar ...

IMG_20200202_140029_219.jpg

Cristo Rei da Ponta do Garajau, Ilha da Madeira

 

 

Associamos o nosso bem-estar às pessoas que amamos, ao nosso emprego, à nossa comida favorita, à nossa casa,  ou alguma coisa que gostamos de fazer!

 

Desperdiçamos grande parte do nosso tempo e energia a tentar atingir objectivos, projectos, metas,  que acreditamos que nos vão fazer felizes e, assim, atingir um bem-estar permanente.

 

E muito do stress e pressão que sentimos nas nossas vidas é causado pelo esforço para nos sentirmos bem através do ter e fazer.

 

E, por muito que tentemos procurar este sentimento de bem-estar fora de nós, estaremos "condenados" a não o encontrar.

 

O bem-estar (felicidade, paz, amor) faz parte da nossa essência e da nossa natureza humana.

 

E quando percebermos que o bem-estar está na nossa essência, rapidamente chegaremos à conclusão de que tudo o que precisamos para o ter é virar a nossa atenção do exterior para dentro de nós.

 

 

"O bem-estar não é fruto do que se faz; é a essência de quem é.

Não há nada que precisaremos de mudar, fazer ou ter para sermos felizes"

- Michael Neill

 

 

Os Meus "Cinquentas"

IMG_20190716_154008_891.jpg

 

 

Decidi aderir ao desafio proposto pela imsilvaDesafio aos "Cinquentas", do blog Pessoas e coisas da vida, onde nos desafia a "escrever sobre o assunto, sentimentos, aprendizagens, orgulhos,  cabelos brancos, rugas, enfim, tudo o que implica ter 5 décadas em cima."

 

Chegar aos 50 anos com saúde, vitalidade, energia, motivação e muitos sonhos é uma dádiva, um presente que devo agradecer diariamente.

Trago na bagagem experiências, feridas saradas, alegrias, vivências, desejos, paixões, amizades, lutas e vitórias, que marcam a pessoa que eu sou.

 

Lembro-me quando o meu pai se reformou com 50 anos e disse que a vida (re)começava naquele dia.

Desde então não mais parou e hoje com 90 anos, deu um "pontapé na velhice".  É um exemplo de envelhecimento saudável e de qualidade de vida.

 

Decidi ser como o meu pai...

Decidi que iria cuidar muito bem de mim, física e mentalmente,  para chegar aos 50 anos e (re)começar!!!

 

Com as filhas crescidas, com a vida profissional resolvida, com as emoções estáveis, com maturidade, experiência e com o tempo necessário para tirar da gaveta os sonhos, tinha todos os ingredientes para Ser Feliz!!!

 

Mas então, o que trago em mim?

 

Percebi que a vida "não termina" com os 50 anos, antes pelo contrário, é uma idade de recomeços, renascimento, desafios, alegrias, invenções e reinvenções.

 

Valorizo muito mais... o que sou, o que tenho, quem me ama, quem está comigo.

 

Desvalorizo.... o que não me acrescenta valor, as críticas negativas, as intrigas... passam-me ao lado!

 

Já não faço "fretes",  não tenho paciência para algumas coisas, não quero perder tempo com o que não me agrada.

 

A minha vida tornou-se... mais gratificantemais emocionante, mais prazerosa.

 

Posso continuar... a aprender,  a crescer, a fazer a diferença no mundo. 

 

Tornei-me... mais sábia, mais tolerante, mais generosa, com mais conhecimento, mas sempre com a humildade e vontade de aprender mais e mais.

 

Tenho a convicção de que... tudo possotudo consigo,  que posso dar "a volta por cima", que tudo se resolve, que tudo traz uma "bênção disfarçada", que tudo vai passar,  que o que aceito é para me fazer crescer.

 

Tornei-me ávida de conhecimento, de amizades verdadeiras, de ter o meu espaço e o meu tempo só para mim.

 

Sinto-me livre... para opinar, para fazer tudo, para ser tudo, para desfazer tudo, para reinventar tudo, para mudar e recomeçar tudo.

 

Rugas?

Cabelos brancos?

Celulite?

Flacidez?

Menopausa?

 

Tornei-me especialista na "psicologia da solução". Para todos os problemas que vão aparecendo, existe sempre uma solução.

 

Tornei-me especialista em truques, a cuidar de mim, a dar-me miminhos, a valorizar-me e a aceitar que tudo isto faz parte dos 50 anos, que o mais importante é Ser Feliz

 

IMG_20190716_153838_405.jpg

 

“Os 40 são a idade madura da juventude.

Os 50 são a juventude da idade madura”. 
– 
Victor Hugo

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Mensagens

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub