Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Pepita de Sucesso

Tudo sobre saúde, trabalho, lazer, viagens, sucesso e estilo de vida.

Uma Pepita de Sucesso

Tudo sobre saúde, trabalho, lazer, viagens, sucesso e estilo de vida.

Sou o que escolhi me tornar

1 sou o que escolhi me tornar.jpg

 

De acordo com  Carl Jung, ter consciência da nossa responsabilidade sobre o que acontece na nossa vida é fator importante rumo à realização de sonhos e desejos.

 

A tendência natural das pessoas que têm vidas que não gostam é desresponsabilizarem-se.

 

Pior, responsabilizam os outros: a família, o chefe, o governo, os amigos, os inimigos, o marido, a esposa, a economia.

 

Ou então, o passado, a infância.

 

Se assumirmos a responsabilidade por tudo o que de mau e de bom aconteça na nossa vida, se percebermos que somos nós que estamos no centro da nossa vida, e que somos nós que temos a habilidade de responder perante ela, será mais fácil empreender a grande mudança na vida.

 

Devemos agir com consciência a fim de nos tornarmos o que queremos ser.

 

Luísa de Sousa

 

 

Ego e Alma

ser importante.jpg

O ego influencia muito a maior parte das situações que nos deparamos todos os dias.

 

E porque não usamos a alma para nos influenciar?

 

O ego é egoísta, competitivo, julga, e pode ser corruptível. 

 

A alma é altruísta, verdadeira, pura, inclusiva, e perdoa.

 

Podemos escolher agir com o ego ou com a alma, mas ambos andam lado a lado, e são necessários na nossa vida.

 

 

Bom fim de semana

Luísa de Sousa

 

 

 

8 dicas para atrair boas energias

 

Tal como uma esponja, absorvemos tudo o que nos rodeia.

Logo, muitas das decisões que tomamos são influenciadas pelo que se passa à nossa volta, pelo nosso ambiente…..mesmo que não nos demos conta disso.

Então como evitar que o exterior interfira de forma negativa nas nossa decisões e provoque estragos na nossa vida?

Como ser um íman de boas vibrações?

Como usar o poder da mente e ser mais feliz?

A “nossa mente e sentidos são permeáveis e deixam-se tocar por tudo o que os estimule diretamente” – Mariana Lago (Cosmopolitan, 2016)

Segundo o neurologista norte-americano Richard Restak (2016),  as emoções negativas exercem uma influência muito maior que as positivas. Isto é consequência de “um fenómeno conhecido como contágio emocional, em que forças externas (música, espaços físicos, cheiros….) e pessoas com más energias são verdadeiramente atentados contra o nosso equilíbrio mental, físico e emocional” .

E muitas vezes nem nos damos conta de que isso acontece.

Vamos, então, “munirmo-nos das melhores armas” para  neutralizar as más energias e as más vibrações e conseguir atrair tudo o que nos permita levar uma vida mais agradável, harmoniosa e feliz ( Mariana Lago, Cosmopolitan, ano 16, nº 204).

1 – Estimule os ouvidos - As mensagens negativas da música, dos noticiários, dos colegas, familiares e amigos, podem ter consequências profundas sobre os seus pensamentos e determinar a forma como vai agir. Canções, informações e discursos com frases, palavras, informações sobre fracassos e desilusões atuam como “mantras” e penetram o subconsciente, que segundo os cientistas, impulsiona cerca de 80% do que fazemos. Invista em músicas, informações, conversas positivas para se manter sempre estimulado e feliz.

2 - Ofereça prendas a si mesmo ou comemore sempre alguma coisa – Segundo um estudo publicado no Journal of Consumer Research, comprar algo que realmente deseje, ou comemorar algum feito, vai deixá-lo feliz por muito mais tempo do que comprar apenas o que necessite. Oferecer um presente a si mesmo ou comemorar algo, “estimula as endorfinas e vai dar-lhe um grande impulso de felicidade”.

3 – Veja mais comédias - Assistir a um filme divertido, mesmo durante 15 minutos, é bom para o sistema cardiovascular. Também está provado que libera endorfinas, os calmantes naturais que existem no organismo. Investigações recentes também sugerem que imagens atraentes (lugares paradisíacos, pessoas atraentes), ativam os centros de prazer. Ao olharmos para uma imagem agradável o “sistema nervoso simpático e parassimpático sincronizam-se” o que provoca uma reação agradável e prazerosa. Isto significa que receberá uma dose instantânea de felicidade sempre que olha para algo que goste.

4 – Fuja dos pessimistas – Quando alguém faz um gesto hostil, aqueles que estão por perto têm mais tendência a imitá-lo, mesmo que inconscientemente. Isso poderá explicar “alguns fenómenos de massa” e todos corremos o risco de reagir com atitudes que até a nós próprios parecem inadequados. “A raiva e a ira” são as emoções mais contagiosas”. Quando alguém se relaciona com uma pessoas ressentida ou irritável, fica mais exposta a sofrer essas emoções (Steven Stosny). Tenha consciência das suas atitudes e não se deixa influenciar pelos outros. Escolha melhor as pessoas com quem se relaciona porque podem influenciá-lo mesmo contra a sua vontade. Já diz o velho ditado “diz-me com quem andas e dir-te-ei quem és!”.

5 - Selecione o que come - Embora pense que seleciona no máximo 15 alimentos e bebidas por dia, na realidade toma mais de 200 decisões alimentares, muitas delas automaticamente, influenciadas pelo ambiente onde está inserido, como as que têm a ver  com o tamanho do prato, a quantidade de bebida que o copo leva, o  lugar onde come e com quem. Isto significa se o colega que o costuma acompanhar nos almoços é um glutão, é provável que a roupa comece a ficar-lhe apertada. Por isso, da próxima vez que foram almoçar peças entradas separadas e dividam o prato principal. Se ele discordar da sua estratégia, o melhor é procurar outra companhia para as refeições.

O lema é usar a comida para se sentir bem  e estimulado em de vez de o fazer apenas para saciar a ansiedade. É bom consumir alimentos ricos em triptofano, como ovos, peixe, nozes, amêndoas, bananas e alface. Este aminoácido facilita a síntese e libertação de serotonina, a hormona  que se encontra no cérebro e que é responsável pelas nossas sensações de felicidade e bem-estar, dois dos melhores e mais eficazes antídotos contra o stress.

6 – Contacte  a natureza – Adapte desde já um novo “mantra” diário, como “verde que te quero verde!”. Entrar em contacto com  a natureza e com o verde, irremediavelmente unidos à primavera, pode ajudá-lo a melhorar o seu estado de espírito. Esta cor atua sobre a depressão e a vista cansada, além de proporcionar doses extra de harmonia e empatia. Além disso, contemplar a natureza reduz o stress e a ansiedade, e ajuda a diminuir a tensão arterial. Sentar-se  a observar a beleza das flores também pode ajudá-lo a manter uma perspetiva positiva diante das situações. Vários estudos científicos provam que  as flores efeitos agradáveis no nosso estado de espírito e que algumas cores ajudam até a levantar a moral.

Nos dias que sente que acordou com uma “nuvem negra” a pairar sobre a sua cabeça, apanhe um pouco de sol: o seu cérebro segregará serotonina e desta forma a ansiedade diminuirá e será mais fácil ficar bem-disposto.

7 - Ande mais devagar, por favor – Até a forma como caminha pode ser contagiosa. Um estudo mediu o tempo que os habitantes de diferentes pontos do mundo demoravam a percorrer 18 metros. Em todos os países se caminha mais depressa que há 20 anos atrás. Você caminha “voando” para chegar ao trabalho e corre no final do dia para chegar a casa. Tire um tempo para olhar para a paisagem, para as pessoas, para a natureza, para si ou para passear bem devagar. Se necessário, levante-se um pouco mais cedo para depois não andar a 200 à hora. É a sua vida que está em jogo e você merece desfrutá-la ao máximo.

8 – Use o poder da mente – Regra geral, as nossas emoções são consequência direta dos pensamentos que também podem ser provocados por algum tipo de situação que nos cause desconforto. Quando acreditamos que está prestes a acontecer algo que nos desagrade, o cérebro revive esse episódio, mesmo que não esteja na realidade a acontecer. Ao antecipá-lo, os nossos medos tornam-se reais. Por outras palavras, a mente pode ser um íman de boas ou de más energias. Você é que decide! Os sentimentos de calma e paciência transformam-se em ações positivas e, por vezes, o que parece adverso pode ser uma oportunidade escondida.

Como recuperar a calma?

Trazer à mente a imagem de alguém querido baixará a pressão arterial a ajudará a acalmar-se.

Por último experimente este exercício: pense numa frase curta, como “estou em paz absoluta”, e repita-a, lentamente, durante 30 segundos várias vezes ao dia.

Repetir palavras tranquilas ajuda a baixar a pressão arterial, a desencadear o pulso e a relaxar mentalmente.

Assim, atrairá boas energias.

Espero que tenha gostado

 

Um abraço

Luísa de Sousa

Desperte a criança que já foi!

sem nome.png

Ser adulto não significa perder aquele entusiasmo genuíno e espontâneo que tínhamos quando éramos crianças.

Para dar “mais colorido à vida” é preciso recuperar a criança que temos ainda dentro de nós.

Quem não se lembra das férias “grandes” onde as únicas preocupações eram como divertir-se e explorar o mundo à nossa volta.

E raramente censurava-mos os pensamentos e acções.

Mas, conforme vamos crescendo, a sociedade “exige” que se esqueça a criança que um dia fomos.

São muitas as razões que levam a que as pessoas (especialmente as mulheres) percam uma boa parte do seu “eu interior” à medida que crescem.

Durante a adolescência, com as mudanças físicas e psicológicas próprias da idade, que modificam a nossa forma de ser e estar, ainda temos de nos “encaixar” numa sociedade que nos pressiona a sermos perfeitos em tudo o que fazemos, muitas vezes, obrigando-nos a “sacrificar” o nosso eu verdadeiro para atingirmos certos objectivos.

Por exemplo, é provável que “tenha silenciado” uma faceta mais louca e inconveniente da sua personalidade para ser aceite pela maioria dos colegas – os seus pares. Ou para agradar aos pais, professores e outros familiares.

Somos “socialmente educados” para agradar, e é por isso que os adolescentes aceitam muitas vezes “transformar-se” naquilo que os outros querem que eles sejam.

Quando crianças, perdíamos horas a fazer o que gostávamos só pelo prazer que isso nos dava, mas à medida que crescemos e nos tornamos adultos, ficamos muito mais ocupados e acaba por “negligenciarmos” o que nos fazia felizes. Aquelas brincadeiras divertidas com os nossos irmãos, primos, amigos perderam-se e tornamo-nos mais tristes.

E a vida vai ficando mais “negra”, sem piada, sem jeito, tudo sempre igual, de manhã à noite e muito amargos….

Talvez esteja na altura de “recuperar a criança que está perdida dentro de si”, e moldá-la com a sabedoria da pessoa crescida em que entretanto se tornou.

Isto não quer dizer que se retroceda no tempo e que a partir de agora faça todas as traquinices e maluquices infantis, mas que tente aperceber-se da alegria genuína e espontânea que “perdeu pelo caminho” e recupere alguma alegria e colorido à sua vida.

Descubra como fazê-lo em 3 Passos simples ( Marta Torres, Cosmopolitan nº 204):

1 – Analise o passado – Lembre-se do que gostava de fazer quando era criança, nas férias intermináveis do verão. Se olhar para criança que já foi e a comparar com a pessoa que é hoje, talvez seja mais fácil perceber do que sente mais falta.

Preste especial atenção ao que lhe desperta sensações do estilo “tenho tantas saudades de” …… e o que “o deixa ansioso por recuperar essa característica perdida” . Só assim conseguirá incluir um pouco do passado na vida de hoje. Falar com amigos de infância, que lhe avivem a memória, também pode ajudar neste processo de auto descoberta.

2 – Recupere paixões – Se ou seu sonho em miúdo era escrever um livro, ser bailarino, pintor ou pasteleiro, talvez seja difícil abdicar do que faz hoje para se dedicar exclusivamente ao seu sonhos, mas pode sempre inscrever-se num curso ou fazê-lo como um hobby. O truque é ser pro-activo e criativo, pois a única maneira de seguir e recuperar essa “paixão antiga” é arriscar e seguir o seu instinto. Experimente associar-se a um clube onde o tema seja o seu “sonho”, até mesmo online através da Internet, assim poderá conviver mais de perto com ele.

3 – Pense mais em si – Lembre-se que trazer de volta alguns elementos da sua personalidade pode ser desconfortável para familiares, amigos e colegas. Podem mesmo achar que está a regredir e a precisar de uma consulta psicológica, ou mesmo que é uma perda de tempo dedicar-se a algo que gostava e que entretanto descobriu que adorar fazer. Mas que nada disto o impeça. Independentemente das expectativas dos outros em relação a si, não deixe que o inibam de fazer o que precisa para se sentir feliz.

Lembre-se que, apesar da sua família e amigos quererem o melhor para si, é você, melhor do que ninguém, que sabe o que o faz sentir-se autêntico.

Vamos fazer um teste e ver se está na hora de recuperar a criança que já foi.

1 – Dá consigo a concordar com o que os outros dizem só para não chamar a atenção?

2 – Sente muitas vezes que não está a ser você mesmo?

3 – Costuma colocar os desejos e necessidades dos outros à frente dos seus?

4 – Quando andava no secundário “ser aceite” era importante para si?

5 – Segue o que os outros fazem só para não causar polémica?

6 – Olhando para trás, tentou esquecer mais do que um dos seus “grandes sonhos” de criança só porque em adulto os considerou pouco realistas?

Se respondeu sim a 1 ou mais das perguntas acima é hora de “tirar da gaveta” aquelas “garotices” que fazia em pequeno e aproveitar a época de férias e colocar algumas em prática.

Vai valer a pena!!!!

Um abraço

Luísa de Sousa

Fonte: Foto Google

Os 5 super alimentos da dieta meditarrânea

mw-860.jpg

 

Há alguns alimentos que não podem faltar no seu armário durante todo o ano e que deve ter em conta sempre que vai ao supermercado. Se segue ou quer seguir uma dieta mediterrânea, deve privilegiar o consumo destes 5 super alimentos:

 

Azeite -  Rico em ácidos gordos insaturados, protege o coração, retarda o envelhecimento e é igualmente útil para feridas e tratamentos de beleza.

 

Alho - Antibiótico natural, fungicida e anti-viral, regula tensão arterial, tem acção protectora contra o cancro e não pode faltar à mesa com qualquer alimento.

 

Cebola - É um diurético natural que trata infecções urinárias, baixa o açucar no sangue, alivia as gripes e é indispensávelna cozinha portuguesa para refogados e afins.

 

Massa integral - Rica em hidratos de carbono de assimilação lenta, é a base da pirâmide da, alimentação mediterrânea vital para obtenção de energia necessária para o treino diário.

 

Tomate - Contém licopeno que ajuda a prevenir o cancro da próstata, é rico em vitamina C,E, betacarotenos e fibras.

 

Este tipo de dieta tem origem nos países do sul da Europa, como Portugal, França, Itália, Espanha e Grécia.

 

Nos últimos anos tem estado mesmo no centro das atenções.

 

É uma alimentação rica em gordura saudável, pois usa fontes como o azeite e peixes gordos, que traz enormes benefícios para a saúde cardíaca, pele e cabelo.

 

Prima pelo uso de legumes, leguminosas (desde feijão, ervilhas e grão) e frutas.

 

As saladas são um hábito num prato desta dieta, sempre temperadas com azeite e vinagre, e acompanhadas por alimentos naturais, não processados.

 

Tente incluir diariamente estes super alimentos na sua dieta para ter uma melhor qualidade de vida.

 

Um abraço

Luísa de Sousa

 

Fonte: Sport Life (2004, nº 28)

https://pt.myprotein.com/thezone/nutricao/dieta-mediterranea-beneficios/

 

 

 

 

6 Hábitos das Pessoas Felizes

 

felicidade xxxx.jpg

 

Quem não quer ser feliz?

 

Tudo o que fazemos desde que acordamos até adormecer é com o desejo de sermos felizes!

 

Buscamos diariamente a fórmula milagrosa que nos leve à felicidade.Todos a querem, mas – pelo menos aparentemente – apenas alguns a alcançam.

 

A verdade é que se quer ser feliz tem que “trabalhar” para isso.

 

As suas relações, a sua carreira ou as suas atitudes podem ter uma forte influência na sua felicidade.

 

Quem o diz é Martin Seligman, pai da psicologia positiva, que defende que 60% da felicidade é determinada pela genética e pelo ambiente e os restantes 40% dependem de cada pessoa.

 

Conheça agora os 6 hábitos das pessoas felizes. (Segundo a Revista Online E-konomista.pt, 2015):

 

  1. ESTAR RODEADO DE PESSOAS FELIZES

Quem está rodeado de pessoas felizes, positivas e motivadas tem mais probabilidades de alcançar a tão desejada felicidade. Otimismo gera otimismo. Boa disposição gera boa disposição. Felicidade gera felicidade. Simples. Comece por aqui e está no bom caminho.

 

  1. PERCEBER QUE SUCESSO PROFISSIONAL PODE NÃO SER SINÓNIMO DE REALIZAÇÃO

Nem sempre ter a carreira que sempre sonhou, garante que se sinta realizado profissional e pessoalmente. Para que isso aconteça tem que ser capaz de encontrar um ponto de equilíbrio entre as duas vertentes da sua vida e só vai ser capaz de “trabalhar” para encontrar este balanço se estiver consciente desse facto.

 

  1. ACEITAR QUE VÃO ERRAR

Esta é uma das características das pessoas de sucesso. Enquanto a grande maioria das pessoas faz de tudo para não fracassar (não errar), as pessoas felizes aceitam que os erros vão ser uma constante ao longo da sua vida e encaram os fracassos como um fator de motivação e uma ferramenta de aprendizagem. Isto é, veem as coisas pelo lado positivo.

 

  1. FAZEM EXERCÍCIO FÍSICO

Já diz o ditado: “mente sã em corpo são”. As pessoas felizes praticam desporto. Qual? Não importa, o que interessa é que se exercite. O exercício físico ajuda a libertar o stress, a diminuir a ansiedade e a aliviar os sintomas de depressão, ou ainda contribui para melhorar a sua saúde e melhora o seu estado de espírito. Razões para começar já não faltam.

 

  1. ENCARAM OS PROBLEMAS COMO DESAFIOS

As pessoas felizes não enfrentam problemas, mas sim desafios. Ou seja, encaram as dificuldades ou obstáculos como oportunidades de melhoria para a sua vida (profissional e pessoal).

 

  1. MOSTRAM A SUA GRATIDÃO

Regra geral, as pessoas felizes são gratas pelo que têm e não se inibem de o mostrar. Esta capacidade ajuda-os a gerar emoções positivas e, consequentemente, a tornarem-se pessoas mais otimistas e capazes de lutar e atingir os seus objetivos. Um verdadeiro efeito “bola de neve”.

 

 

PARA SER  FELIZ!

 

A sua capacidade para ser feliz depende em muito da sua vontade de ser feliz.

 

Se quer mesmo ser feliz, comece por adotar uma nova atitude, todos os dias…

 

Um abraço

Luísa de Sousa

Estás Feliz no teu Trabalho?

 

3.jpg

 

Sentes-te feliz quando te levantas para ir trabalhar?

 

Como saber se estás feliz no teu trabalho?

 

Segundo um estudo realizado pelas Universidades de Stanford, Harvard e Claremont (USA), uma pessoa feliz no trabalho, ou com aquilo que faz, pode ser um trabalho fora de casa ou Trabalho a Partir de Casa, é aquela que faz o que gosta e, ao mesmo tempo, aquilo em que realmente se destaca, ou seja, está apaixonada pelo que faz, de acordo com as suas preferências e aptidões.

 

 

Casual business team laughing during meeting

 

 

Mas, de acordo com Daniel Goleman (Foco), na maior parte do tempo estamos stressados,angustiados, aborrecidos e com a sensação de que não estamos felizes e realizados.

 

Com a falta de emprego que existe actualmente em Portugal, quase que nem nos podemos dar ao luxo de sonhar com a nossa carreira de eleição, que estudamos e investimos anos, tempo e dinheiro na nossa formação.

 

Até atrevo-me a dizer que “somos obrigados” a aceitar o que quer que seja, com um salário miserável, porque escasseiam os empregos, e, temos de sobreviver.

 

Então, o que fazer?

 

Definhamos no emprego?

 

Procuramos outras oportunidades?

 

Continuarmos infelizes diariamente?

 

Sim, devemos sempre procurar outras oportunidades, elas até podem estar à nossa beira…..devemos sempre continuar a procurá-las e nunca desistir do nosso sonho, daquilo que realmente queremos fazer na vida e com a nossa vida.

 

Afinal a nossa felicidade depende daquilo que fazemos todos os dias, e o nosso trabalho absorve 7/8, senão mais horas do nosso dia.

 

Então o que fazer enquanto não chega aquela oportunidade que nos vai fazer sair desta má energia?

 

Para estar bem no teu local de trabalho (isto também se aplica a quem Trabalha a partir de Casa, e não te deixares levar pelas más energias que debilitam o teu dia-a-dia e estares com o ânimo em alta ao longo do teu dia aqui vão alguns conselhos para adoptares imediatamente (segundo Dália Bonet, Woman´s Health, 2014-2015):

 

1 – Corrige a tua Postura – De acordo com a Autoridade para as Condições do trabalho (ACT), as posturas incorrectas, cada vez mais frequentes no nosso dia-a-dia, sobrecarregam a coluna cervical, dorsal e lombar, tornando-se mais vulnerável a lesões, eventualmente graves, dando origem a uma “progressiva diminuição da nossa capacidade para o trabalho e aumentando o risco de desconforto e da dor, contribuindo também, para uma maior taxa de absentismo por doença”.

Então o que fazer?

Fazendo diariamente cerca de 1 hora de exercício físico. As modalidades que mais ajudam a prevenir estes problemas posturais são o Yoga, Pilates e Tai Chi Chuan.

Durante o teu dia no trabalho, evitar estar mais de 1 hora sentado na mesma posição, fazendo pequenos movimentos para aliviar a postura. A última moda, e que eu utilizo no meu Trabalho a Partir de Casa, é a utilização das Fitballs para substituir as cadeiras. Isto permite-me estar sempre em movimento, com uma postura alinhada e correcta, aumentando, assim, a flexibilidade e a tonificação dos abdominais e das pernas, estando em constante movimento, combatendo o sedentarismo.

 

2 – Diz adeus ao Stress – A maior parte das vezes exigimos o máximo de nós mesmos. E, de acordo com um estudo da Comunidade de Madrid (Espanha), o “stress é como uma patologia laboral que tem especial incidência no sector dos serviços”, sendo maior o risco em funções mais exigentes, especialmente aqueles que têm contacto directo com o público: comerciais, pessoal de saúde, atendimento, etc.

Para diminuir o stress provocado pelo trabalho, tenta cumprir o teu horário, não fazendo horas extra e não leves trabalho para casa. E sobretudo, reflecte sobre a verdadeira importância do trabalho na tua vida.

Não tens mais nada além do trabalho? Família, amigos, lazer?

 

3 – Respira Fundo e Sai – Quando chega a hora de sair seja para o almoço, lanche ou saída ao fim do dia, fecha o computador, desliga tudo, respira fundo e sai. Isto aplica-se àqueles que têm por hábito não sair para as refeições e ficam a comer à frente do computador.

Deixa a tua mesa de trabalho – isto aplica-se  também a quem Trabalha a Partir de Casa – estica-te, agradece mais um dia produtivo, respira fundo e sai, nem que seja para apanhar ar. Afasta-te, nem que seja por 15 minutos (lanche), que só não vão ajudar a recarregar baterias, como vão melhorar o teu humor.

 

Sabias que os portugueses são o povo da Europa que mais sofrem no trabalho?

 

50% da nossa população sofre de stress no trabalho ( Agência Europeia para a Segurança no Trabalho).

 

Vamos fugir deste número?

 

Um abraço

Luísa de Sousa

Referências: Dália Bonet, Woman´s Health, 2014-2015

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Mensagens

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D