Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Uma Pepita de Sucesso

Tudo sobre saúde, trabalho, lazer, viagens, sucesso e estilo de vida.

Uma Pepita de Sucesso

Tudo sobre saúde, trabalho, lazer, viagens, sucesso e estilo de vida.

5 Passos para Rentabilizar o seu Hobby Online

 

trabalhe online.jpg

 

 

 

Já decidiu qual o seu hobby, aquele sonho guardado na gaveta desde muito nova e que nunca teve oportunidade de o fazer, seja por falta de tempo, seja pelo seu trabalho, seja pela família.

 

Agora que lhe sobre um tempinho quer começar a fazer um projecto que o apaixona.

 

Parabéns!

 

Está um passo adiantado daqueles que querem trabalhar a partir de casa mas ainda não sabem o que fazer.

 

E, como já tem definido o que deseja empreender a partir de casa, mãos à obra.

 

E o problema surge agora……como começar, o que fazer com a minha paixão?

 

Sei que não é fácil, muita informação na internet que acabamos por ficar “anestesiados” sem saber por onde começar….

 

Mas existem 5 passos simples que deve começar e que o vão ajudar a dar o salto no seu hobby.

 

Então vamos aos 5 passos para rentabilizar o seu hobby:

 

1 – Comece com um Site ou um Blog – Sim, o site ou blog que será a sua montra onde serão exibidos os seus produtos/hobby.

Existem sites ou blogs gratuitos, por onde poderá iniciar, mas a melhor opção será, com certeza, se quer um site ou blog profissionais, ter um domínio e hospedagem pagos. Existem vários no mercado a preços muito acessíveis.

Se não tem muito jeito para escrever num blog, pode criar um site de vídeos, onde serão exibidos vídeos ou fotos, uma verdadeira galeria online.

 

2 –  Empenhe-se o melhor que puder no seu site ou blog – escreve sempre artigos, fotos ou vídeos  de qualidade  que realmente chegue ao seu nicho de mercado, e como é o seu hobby, sabe tudo sobre ele, mais um motivo para fazer chegar todas as dicas e truques preciosos que poderão resolver problemas e mudar a vida das pessoas.

Se não sabe como configurar o seu site, blog, um artigo, vídeo, foto, informe-se ou adquira algum curso que possa aprender, passo-a-passo, desde o início ao fim, para que o seu site ou blog fique o mais profissional a atraente possível, e, assim, receba muitas visitas diariamente de pessoas interessadas nos seus produtos.

 

3 – Muita publicidade nas redes sociais – sim, tem de ter conta nas maiores redes sociais, tais como facebook, twitter, pinterest, youtube, instagram, linkedin, Google + e partilhe e mostre o conteúdo de qualidade do seu site ou blog.

 

4 – Seja um afiliado em programas de afiliados – uma vez que o seu site ou blog esteja criado, configurado e com conteúdo de qualidade pondere a possibilidade de se tornar um afiliado e assim poder promover produtos de outros e ganhar uma percentagem de comissão.

 

5 – Tenha calma e seja persistente e estude muito  – Com certeza já viu na internet frases do tipo, “Ganhe dinheiro Fácil na Internet”, e muitos anúncios dão a ideia que terá um ganho inicial sem esforço e sem trabalho já no primeiro mês ou até na primeira semana. Não se iluda, pois dinheiro fácil não existe. O dinheiro virá sim, mas vai exigir paciência, dedicação e persistência.

Não pode fugir à formação e aprendizagem. Para tudo existe uma curva de aprendizagem e trabalhar em casa pela internet, mesmo no seu hobby, necessitará de aprender as melhores técnicas de internet marketing. Existem muitos cursos online, gratuitos e pagos onde poderá ir buscar todo o conhecimento de que necessita. Mas, como disse acima, muito cuidado com a “overdose” de informação.

 

Enfim, trabalhar na internet, em casa, e rentabilizar o seu hobby é uma ótima opção para mostrar ao “mundo” a nossa paixão, resolver problemas e dificuldades das pessoas e ganhar dinheiro.

É só saber o que deseja fazer, começar, saber onde ir buscar a informação correta e ser persistente, pois os resultados não demorarão a chegar.

 

Um abraço

Luísa de Sousa

5 Sinais de que é Infeliz no seu Trabalho

 

trabalho-em-casa-produtividade.jpg

 

Sentir-se bem no seu trabalho e com os seus colegas é o que mais ambicionamos.

 

Sentir-se feliz e motivado no trabalho é o que qualquer profissional ambiciona, não só porque aumenta a sua produtividade e o seu desempenho, como ainda lhe dá boas perspectivas de evolução dentro da própria empresa.

 

Afinal passamos 7 a 8 horas do nosso dia no trabalho e junto aos nosso colegas, logo sentir-se feliz deveria ser “obrigatório”.

 

Infelizmente, nem todos têm essa sorte e são muitas as pessoas que sentem infelizes no seu trabalho.

 

Cada vez mais são raras as empresas que disponibilizam recursos de bem-estar para os seus funcionários.

 

Se é daquelas pessoas que…..

 

Sente que algo não está bem no seu emprego…

 

Que é tempo de mudar algo….

 

Ou simplesmente que precisa de mudar de emprego…..

 

O mais certo é sentir-se infeliz no trabalho.

 

Para alterar isso o melhor é aprender a reconhecer os sintomas e depois decidir o que fazer a seguir.

 

A verdade é que em muitos casos as pessoas nem se apercebem dos sintomas e acabam por prolongar (e aumentar) a sua infelicidade.

 

Se é o seu caso, aprenda a reconhecer os sintomas.

 

Segundo Júlia de Sousa (E-Konomista, 2015) existem alguns sinais que evidenciam se somos infelizes no trabalho. Aqui ficam os cinco principais sinais.

 

  1. PASSA A VIDA A OLHAR PARA O RELÓGIO

Se mal chega ao trabalho (ou mesmo antes de sair de casa) já está a fazer as contas às horas que faltam para sair, algo de muito errado se passa. É normal que a certa altura anseie pela hora de saída para poder relaxar um pouco, o que não é normal é que passe o dia nessa ansiedade.

 

  1. NÃO SE SENTE VALORIZADO

Esta é uma das principais razões para a infelicidade no trabalho. Todos os profissionais querem ver os seus esforços reconhecidos ou o seu trabalho valorizado. Até porque esse reconhecimento funciona muitas vezes como motivação para manter o foco ou para se empenhar ainda mais nas suas funções ou nos projetos em mãos. Se isso não acontece é normal que se sinta infeliz.

 

  1. NÃO SE RELACIONA BEM COM OS SEUS COLEGAS DE TRABALHO

Seja porque tem colegas difíceis ou porque desconfia das motivações das pessoas que o rodeiam, nem sempre é fácil estabelecer bons relacionamentos com os colegas de trabalho. E, em certos casos, essas dificuldades tendem não só a contribuir para que se sinta infeliz no trabalho, como também para aumentar essa infelicidade.

 

  1. PROCRASTINA

Ou seja, se olha para a sua lista de tarefas e faz algumas tarefas de forma rápida e eficaz, mas as restantes acaba sempre por adiar, pode estar perante um sinal claro de que não se sente feliz no trabalho.

 

  1. SINTOMAS FÍSICOS

Insónias, fadiga e dores de cabeça constantes é algo que deve ter em atenção, porque pode ser uma evidente manifestação de que não se sente feliz no seu trabalho. Aliás, há estudos que confirmam que pessoas infelizes no trabalho têm maior tendência de sofrer sintomas físicos de stress.

 

O QUE FAZER?

 

Em todo o mundo são milhões os profissionais que se sentem infelizes no trabalho, mas antes que diga que não pode fazer nada para evitar ser infeliz no trabalho, saiba que não é assim.

 

Há sempre uma alternativa.

 

Nós deixamos-lhe três (sendo que uma delas serve apenas para reforçar as outras duas).

 

  1. FAÇA ALGO DIFERENTE

Procure uma nova função, um novo emprego ou (até) uma nova carreira.

 

Vai dar trabalho, mas quem sabe não fica (pelo menos) mais perto da felicidade.

 

  1. MUDE A SUA FORMA DE PENSAR

Por vezes basta mudar alguns hábitos ou a sua mentalidade para que as coisas melhorem.

 

  1. NÃO FAÇA NADA

Mas nesse caso prepare-se para continuar infeliz. (Claramente, não é a opção mais viável).

 

Pode até parecer ser uma missão impossível mudar de emprego numa altura de crise, quando está muita gente no desemprego.

 

A maioria diria que temos de dar graças a Deus pelo facto de termos um trabalho.

 

A maioria acha um absurdo pensar em mudar de emprego mesmo que estejamos infelizes.

 

Mas……e se conseguir encontrar aquele trabalho que é a sua cara e que pode ganhar muito dinheiro?

 

Que lhe enche as medidas?

 

Que é a sua paixão?

 

Existem muitas oportunidades por aí.

 

Pode trabalhar Online a Partir da sua Casa em Internet Marketing ou em Programas de Afiliados, recebendo comissões pelas vendas online.

 

Comece por fazê-lo em part time e logo vê a sua sustentabilidade até passar a fazê-lo em full time e ser a sua liberdade financeira.

 

E lembre-se…..nunca é tarde para mudar!

 

Um abraço

Luísa de Sousa

 

6 Dicas para ser mais produtivo

bigstock_Business_Woman_Portrait_In_An__2093115.jp

 

 

Quem nunca chegou ao fim de um dia de trabalho e verificou que andou às voltas e não produziu quase nada?

 

Mesmo que se tenha um chefe ou um patrão “à perna” o da todo, muitas vezes parece que as horas passam e que afinal fizemos muito pouco.

 

Até mesmo quem é empreendedor e trabalhar por sua conta, este é um problema muito comum.

 

Se por vezes o seu dia de trabalho chega ao fim sem que tenha conseguido terminar todas as tarefas e nem percebe muito bem para onde foram todas as horas, pode estar a ser vítima do Síndrome do Défice de Atenção..

 

Mas existem algumas dicas / truques para superar essa tendência e ser mais produtivo! (Carmem Saraiva, Cosmopolitan, 2012).

 

1 – Nos primeiros 90 minutos de cada dia, concentre-se e dedique-se ao que é realmente importante para o trabalho /empresa. Por exemplo, o projecto em curso que vai gerar grande retorno financeiro, ou o contacto ou procura de mais clientes.

 

2 – Dedique 1 hora do seu dia ao relaxamento absoluto. Sem televisão, sem Iphone, sem PC, sem qualquer espécie de estímulo. As melhores ideias e inspirações surgem  quando estamos totalmente concentrados e em silêncio (quantas vezes já aconteceu encontrar a solução para um problema a meio da noite, quando acorda e perde o sono?).

 

3 – Não perca tempo precioso a ver as notícias de todos os sites dos jornais diários ou redes sociais numa tentativa de se manter informada. Existem Junk News que não são importantes para si nem para o trabalho e que não irão ajudar a criar mais e melhor.

 

4 – Cuidado com os “vampiros de energia”! Atenção a quem dá carta verde para perturbar o seu dia de trabalho com inutilidades. Preencha a sua vida com pessoas que lhe dêem motivação.

 

5 – Estabeleça cinco objectivos diários e tente cumpri-los. Por pequenos que sejam, vão ajudá-lo a optimizar as horas e o tempo despendido em cada tarefa.

 

6 – O ambiente que o rodeia tem influencia na sua produtividade. A sua secretária, o carro, a casa e outros espaços onde precise de passar grandes períodos de tempo, devem ser organizados. Livre-se do que não interessa e liberte espaço para as ideias fluírem com mais eficiência. Torne-se adepto do minimalismo como Steve Jobs.

 

Estas dicas podem parecer complicadas ao inicio para cumprir, mas fazendo um por dia, com certeza que chegará ao fim do dia com a sensação de dever cumprido.

 

Eu, como tenho o meu Projecto Online e trabalho a partir de casa, a tentação é muito grande de fazer o que apetece, sem regras, nem horários.

 

Mas habituei-me a ser organizada e planear no dia anterior as tarefas para o dia seguinte.

 

E cumpri-as à risca, só me levantava depois de ter concluído os 5 objectivos propostos.

 

Espero que estas dicas o possam ajudar a ser mais produtivo também.

 

 

 

Um abraço

 

Luísa de Sousa

nunca chegou ao fim de um dia de trabalho e verificou que andou às voltas e não produziu quase nada?

 

Mesmo que se tenha um chefe ou um patrão “à perna” o da todo, muitas vezes parece que as horas passam e que afinal fizemos muito pouco.

 

Até mesmo quem é empreendedor e trabalhar por sua conta, este é um problema muito comum.

 

Se por vezes o seu dia de trabalho chega ao fim sem que tenha conseguido terminar todas as tarefas e nem percebe muito bem para onde foram todas as horas, pode estar a ser vítima do Síndrome do Défice de Atenção..

 

Mas existem algumas dicas / truques para superar essa tendência e ser mais produtivo! (Carmem Saraiva, Cosmopolitan, 2012).

 

1 – Nos primeiros 90 minutos de cada dia, concentre-se e dedique-se ao que é realmente importante para o trabalho /empresa. Por exemplo, o projecto em curso que vai gerar grande retorno financeiro, ou o contacto ou procura de mais clientes.

 

2 – Dedique 1 hora do seu dia ao relaxamento absoluto. Sem televisão, sem Iphone, sem PC, sem qualquer espécie de estímulo. As melhores ideias e inspirações surgem  quando estamos totalmente concentrados e em silêncio (quantas vezes já aconteceu encontrar a solução para um problema a meio da noite, quando acorda e perde o sono?).

 

3 – Não perca tempo precioso a ver as notícias de todos os sites dos jornais diários ou redes sociais numa tentativa de se manter informada. Existem Junk News que não são importantes para si nem para o trabalho e que não irão ajudar a criar mais e melhor.

 

4 – Cuidado com os “vampiros de energia”! Atenção a quem dá carta verde para perturbar o seu dia de trabalho com inutilidades. Preencha a sua vida com pessoas que lhe dêem motivação.

 

5 – Estabeleça cinco objectivos diários e tente cumpri-los. Por pequenos que sejam, vão ajudá-lo a optimizar as horas e o tempo despendido em cada tarefa.

 

6 – O ambiente que o rodeia tem influencia na sua produtividade. A sua secretária, o carro, a casa e outros espaços onde precise de passar grandes períodos de tempo, devem ser organizados. Livre-se do que não interessa e liberte espaço para as ideias fluírem com mais eficiência. Torne-se adepto do minimalismo como Steve Jobs.

 

Estas dicas podem parecer complicadas ao inicio para cumprir, mas fazendo um por dia, com certeza que chegará ao fim do dia com a sensação de dever cumprido.

 

Eu, como tenho o meu Projecto Online e trabalho a partir de casa, a tentação é muito grande de fazer o que apetece, sem regras, nem horários.

 

Mas habituei-me a ser organizada e planear no dia anterior as tarefas para o dia seguinte.

 

E cumpri-as à risca, só me levantava depois de ter concluído os 5 objectivos propostos.

 

Espero que estas dicas o possam ajudar a ser mais produtivo também.

 

 

 

Um abraço

 

Luísa de Sousa

Odeio o meu trabalho! Porque continuo?

 

OB-SZ219_0516de_G_20120516113140.jpg

 

Odeia o seu trabalho?

 

Parabéns, não está sozinho.

 

Então o que faz com que as pessoas fiquem num trabalho que odeiam?

 

Porque se mantêm a fazer alguma coisa que não as satisfaz?

 

Porque ficam num trabalho e são infelizes?

 

Esta é a pergunta que muitos profissionais colocam a si mesmos todos os dias.

 

Sim, mesmo todos os dias.

 

Para eles, acordar de manhã para ir para o trabalho é uma verdadeira dor de cabeça, um sofrimento.

 

Dores de barriga, um nó no estômago e na garganta.

 

E não é por preguiça, é mesmo porque não gostam do seu trabalho.

 

A dica habitual nestes casos seria procurar um novo emprego.

 

Embora saibamos que os empregos não abundam por aí, mas ainda assim existem oportunidades que não devemos fechar os olhos.

 

Mas há quem se mantenha num emprego, mesmo não gostando do que faz.

 

E há várias razões para isso.

 

Todos sabemos que mudar de emprego implica muito mais do que arrumar as suas coisas, dizer adeus aos seus empregadores e colegas e mudar-se para outro emprego.

 

E a verdade é que, por mais desencorajador que possa parecer, há vários profissionais que decidem ficar nesse trabalho que claramente não gostam.

 

Por comodismo?

 

Por medo?

 

Não querem sair da sua zona de conforto?

 

De facto, acredite ou não, há motivos muito válidos e lógicos para que isso aconteça.

 

Conheça agora algumas das razões para para algumas pessoas ficarem num trabalho que não gosta – nem que seja apenas por algum tempo (Júlia de Sousa, E-konomista, 28/10/2015)

 

  1. ESSE EMPREGO É APENAS UM DEGRAU PARA CHEGAR A ALGO MELHOR

Quem disse que um trabalho que não gosta não lhe pode abrir as portas para algo melhor?! Pode. Em muitos casos, antes de ter acesso a outras e melhores oportunidades dentro da empresa (para conseguir aquela promoção que ambiciona, por exemplo) tem que começar por baixo e desempenhar funções que nem sempre são as que mais gosta. Mas, isso pode ser apenas uma fase passageira e – depois de provar o seu real valor – ser-lhe-ão abertas as portas para outras funções de que realmente goste e que o motivem e (melhor ainda) vai poder começar a subir na hierarquia da empresa.

 

  1. TEM UM BOM SALÁRIO

O dinheiro não é tudo, mas que ajuda lá isso… Sejamos francos, ter um bom salário é uma razão válida para se manter num emprego, mesmo que não goste dele. Todos têm contas para pagar e, numa economia instável como a atual, ter um bom salário pode ser uma boa razão para manter-se no seu emprego.

O assunto é frequentemente quase tabu, mas verdade seja dita, é um fator importante a considerar na hora de mudar ou de ficar num trabalho. Em última instância, esse bom salário, pode ajudá-lo a estabilizar as suas finanças (ou a criar um bom “pé-de-meia”) para depois ter a segurança e o conforto económico necessário para mudar para algo melhor ou que goste de fazer.

 

  1. A INSTABILIDADE DO MERCADO DE TRABALHO

Sim, também é uma boa razão. O mercado de trabalho enfrenta uma dura realidade. Os números do desemprego são elevados e há pessoas que demoram meses/anos para encontrar um emprego (isto para não falar da enorme competitividade que terá que enfrentar, e é bom que esteja preparar para ela). Por isso sim, a instabilidade do mercado de trabalho é uma razão válida para se manter num emprego que não gosta. Mas atenção, ninguém diz que não pode ir procurando outras oportunidades mesmo estando empregado.

 

  1. PODE DESENVOLVER UM VASTO LEQUE DE COMPETÊNCIAS

Pode não gostar do seu trabalho, mas isso não significa que não seja bom para si. Afinal, pode dar-se o caso de ter a possibilidade de desenvolver ou adquirir inúmeras competências que podem vir a ser-lhe preciosas no futuro. A verdade é que todos os empregos têm algo para oferecer e o seu (mesmo que não goste dele) pode estar a muni-lo de importantes ferramentas de trabalho. Por isso, talvez não seja assim tão má ideia manter-se nesse emprego, pelo menos até surgir algo que seja mais do seu interesse e onde possa usar essas competências que adquiriu até então.

 

  1. OS CONTACTOS

Todos estamos bem cientes da importância de ter um bom conjunto de contactos profissionais nos dias que correm. E pode dar-se o caso da empresa onde trabalha estar bem cotada no mercado e poder dar-lhe acesso a um vasto leque de bons contactos profissionais que podem vir a ser-lhe muito úteis no futuro.

 

Por fim….

 

Estas são algumas das razões que fazem com que algumas pessoas fiquem nos seus empregos mesmo que não gostem.

 

Alguma são até válidas, outras nem tanto.

 

De qualquer forma, se se encontra numa das razões acima descritas, lembre-se que passa 7 a 8 horas do seu dia a desenvolver a sua actividade profissional, logo deve ser apaixonado pelo que faz.

 

Mas, se as suas razões são provisórias, e está a aguentar uma situação laboral porque será um passo para dar um outro maior, então que seja muito breve.

 

Porque manter-se num emprego que não gosta pode ser um enorme desafio.

 

Analise profundamente o que realmente quer fazer na sua vida, quais os seus objectivos, as suas metas para nunca deixar de ver e alcançar os seus sonhos.

 

 

Um abraço

Luísa de Sousa

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

 

Mensagens

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D